Eu tenho lutado. Eu luto, luto, mas minha cabeça já está acostumada com a hipocrisia. É claro que estou falando da hipocrisia que vejo nos outros e não da minha, o que já constitui uma hipocrisia em si.

Quantos policiais já usaram do sua permissão para matar quando o acusado (nem sempre o culpado) já estava algemado? Quantas vezes o assassino da criança indefesa se tornou vítima de outros assassinos, estes antes cidadãos comuns até o momento do linchamento? E quantos de nós, em suas mentes já fizeram isso?

“Bandido tem mesmo é que morrer!” Nós temos a coragem de nos auto-entitularmos juizes e se houver a oportunidade, executores, mas não sabemos como falar do mover de Deus em nossas vidas.

Essa é a hipocrisia humana. Eu a vivo. Eu respiro isso. Mas eu sei que há esperança. E mesmo que o leitor já tenha pensado nisso, eu preciso dizer qual é: humildade.

Dois homens subiram ao templo com o propósito de orar: um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, posto em pé, orava de si para si mesmo, desta forma: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros, nem ainda como este publicano; jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho. O publicano, estando em pé, longe, não ousava nem ainda levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, sê propício a mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque todo o que se exalta será humilhado; mas o que se humilha será exaltado.
Lucas 18:10-14

O fariseu se julgou e achou em vantagem. O publicano deixou Deus julgá-lo e se achou em grande pecado.

Não julgueis, para que não sejais julgados. Pois, com o critério com que julgardes, sereis julgados; e, com a medida com que tiverdes medido, vos medirão também. Por que vês tu o argueiro no olho de teu irmão, porém não reparas na trave que está no teu próprio? Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, quando tens a trave no teu? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e, então, verás claramente para tirar o argueiro do olho de teu irmão.
Mateus 7:1-5

Nós temos sido hipócritas o tempo todo. O esforço maior nós o fazemos: esconder nossas “pequenas imperfeições” debaixo do tapete.

Para sermos humildes, precisamos de uma outra pequena grandiosa qualidade: franqueza.

Que nós obedeçamos a Deus, admitamos nossas falhas abertamente e procuremos sair da nossa própria órbita.

Anúncios