dezembro 2007


Pessoal, achei um site muito útil para blogueiros, o CreativeMYK.com. Tá começando ainda, mas resolve aquele nosso problema de onde conseguir fotos realmente gratuitas para uso no blog. Tem vários sites bem maiores, mas eles cobram o copyright da foto, mesmo que não cobrem royalties.
Site com fotos grátis mesmo, só o flickr, mas lá não é um site de fotos “publicitáveis”.

O Creative MYK tem uma boa galeria de fotos, ótimas artes vetoriais entre outros, tudo com temas cristãos, ou feitos por artistas cristãos. Uma utilíssima área do site é a de fundos para slides. Tudo lá prontinho pra você colocar no data-show da sua igreja.

Powered by ScribeFire.

Eu sabia que não iria ficar muito tempo longe desse meu lar. Vim para falar sobre um cara que me deixa fascinado, sempre que ouço falar algo dele. Agostinho de Hipona. A Igreja Romana gosta de chamá-lo de Santo, mas não gosto desse título.

Vida

Aurélio Agostinho (do latim, Aurelius Augustinus), Agostinho de Hipona ou Santo Agostinho foi um bispo católico, teólogo e filósofo que nasceu em 13 de Novembro de 354 em Tagaste (hoje Souk-Ahras, na Argélia); morreu em 28 de Agosto de 430, em Hipona (hoje Annaba, na Argélia). É considerado pelos católicos santo e Doutor da Igreja.[1]


Pensamento & Obras

Eu já li vários livros que citam os pensamentos dele (Hábitos da Mente{1}{2}; Uma História da Leitura). Desde a primeira fagulha eu amo a mente desse (último?) grande pensador cristão. Ele consegue ser quase tão atual quanto Paulo de Tarso ao escrever. Não o comparo tanto, pois Paulo foi um vaso maior, usado para trazer revelações legítimas, enquanto Agostinho é um interpretador e restaurador da Palavra. Mas o estilo literário é dos dois é atualíssimo.

A questão é que nunca tinha lido textos dele antes porque esse tipo de livro nunca está na prateleira de ofertas das grandes livrarias. Consegui baixar “Confissões”, sua obra mais conhecida. Aí foi que eu mergulhei na cabeça desse pensador tão amigo, tão perto da gente.
Só dei uma lida rápida em alguns tópicos, mas já vi que existem textos como “Literatura e Mitologia Corruptoras”, no qual ele fala sobre a Mitologia Grega e em que pontos ela difere da realidade:

Homero imaginava essas ficções e atribuía aos deuses os vícios humanos; eu preferia que nos trouxesse as perfeições divinas. Mas seria exato dizer que Homero, inventando tais coisas, atribuía qualidades divinas a homens viciados, a fim de que os vícios não fossem considerados como tais, e quem os comete pareça imitar, não a homens corruptos, mas a divindades celestes[2].

Ler Agostinho é como filosofar biblicamente com um amigo próximo. As idéias e dúvidas são muito próximas às nossas! Ele procurava íntima e obstinadamente a verdade. E quase sempre a encontrava, pois a buscava em Deus.

Ainda há vários outros assuntos tratados, como “Inteligência Desperdiçada em Coisas Vãs”(!), “Ciência Humana e Fé Divina” entre outros. As obras de Agostinho estão longe de serem inspiradas, não têm status de Escritura, mas é por isso mesmo que são tão bonitas. Sua vida é igual a nossa vida, buscando a Deus, errando e se corrigindo.

Enfim, recomendo a leitura, acho que não é tão difícil encontrar uma obra dele na sua livraria preferida, mas vou fazer algo que não sei se é correto. A obra dele em inglês é domínio público, agora não sei se a tradução em português é domínio público, mas aí vai o link. E o link do site Domínio Público pra obras dele em inglês.

Minha prolixa dica é essa. Depois falo um pouco dos outros livros citados. São ótimos, leitura agradabilíssima.

[1] – fonte: Wikipédia
[2] – referência (incorreta segundo os padrões ABNT) – Confissões de Agostinho de Hipona

Powered by ScribeFire.

É verdade. Com pesar, vou precisar me retirar temporariamente da blogosfera cristã. Eu preciso por causa das mudanças e correrias que estão acontecendo agora na minha vida. Quero dedicar mais á equipe de louvor da qual participo e lidero, quero dedicar aos jovens da minha igreja e de outras igrejas da minha Federação, quero dedicar ao meu novo trabalho, o qual agradeço a Deus, quero dedicar mais ao namoro, claro, porque é dele que vem a alegria da minha amada. Enfim, vários projetos pra esse 2008 véio aí. Até haveria espaço pro blog, mas quero fechá-lo agora pra não correr o risco de abandoná-lo depois, já que ele não foi citado nessas prioridades que falei agora aí.

Não tenho data definida, mas ainda penso em postar sem compromisso alguma coisa ou outra que precisar compartilhar.

Pra vocês, fiéis leitores (e não-fiéis também), peço que assinem meu feed RSS para saberem quando a gente volta. E leiam posts que ainda não leram, comentem, se ainda não comentaram. Assistam menos TV, leiam mais livros e quadrinhos, ouçam mais músicas criticamente e, preservem a natureza, encontre o seu dom na sua igreja, se ainda não o fez e odeiem o consumismo.

Abraço de coração a todos,

Júlio

PS: glória a Deus pela cantata de Natal dos jovens e adolescentes ontem à noite. Saiu lindo, a igreja aprovou e como fizemos de coração quebrantado, creio que Deus também se agradou da cantoria. Ótimos arranjos modernos de músicas tradicionais.

Powered by ScribeFire.

Também tenho minha coletânia de auto-ajuda. Na verdade é meio que divina-ajuda, então acho que não vende tanto.

Ouça uma música várias vezes e tente em cada uma delas prestar atenção em um aspecto: sonoridade, vocais, letra, enredo, cada instrumento em separado, um fone de cada vez. Tente formas diferentes de ouvir música: durante uma conversa, na aula da facul, namorando (S2) etc. Sei que isso tá muito comum depois da revolução do MP3, mas encare a música como parte do momento, não como um passa-tempo, certo. Por favor, nunca faça isso com a música, ela não é pra isso.

Leia bons livros como se estivesse saboreando um doce muito gostoso. Quando a gente come algo muito gostoso, a gente pensa como aquilo é bom, agradece a Deus, planeja a próxima vez e sempre quer um pouco mais. Quando estiver lendo, saboreie cada palavra, volte, leia de novo, leia mais uma vez em voz alta, anote suas impressões. Esse ler passivo é novidade da nossa sociedade atual. Até o século XIV, todos liam em voz alta, anotavam nas bordas da página, comentavam com outros. Só depois do século XIX, deixaram-se o costume das leituras públicas e reuniões de pessoas para ouvir boas histórias. Essa leitura rápida que aprendemos no pré-vestibular é tão saudável quanto um bom fast-food (faz mal, mas ainda é assim é saboroso).

Ore e leia a Bíblia sempre. Fale com o Soberano e deixe ele responder. Comunicação é tudo e comunicação com Deus, nem se fala.

Faça exercícios regulares. É saudável, é divertido (depois de um tempo) e um bom apoio para uma vida pura e espiritualmente saudável.

Jogue um bom game* ou assista um programa de TV legal**. Desligar a mente é o canal pra não ficar doido, mas fazer isso é bem perigoso por causa da inércia mental. Doses controladas, por favor.

* Tetris, Super Puzzle Bobble, OpenTTD, Space Cadet Pinball.
** Seinfeld, Monk, Mr. Bean, Bob Esponja, Chaves.

Powered by ScribeFire.

Cada geração da humanidade tem seus pontos de dificuldade para seguir a
Palavra de Deus. Olhando para minha própria vida e a vida de outros
jovens cristãos, observei que as coisas que estão faltando na nossa
vida para sermos mais santificados são simples. Essa série de posts
discute quais são esses pontos:

Seriedade/Maturidade: muitas vezes me pergunto como eu consigo ficar com sono exatamente ás 19h20 do Domingo, hora que tá começando a pregação na minha igreja. Cara, eu aguento a aula na semana até as 22h45 às vezes, porque não consigo segurar na igreja? Invento pra me tentar me enganar que aquela é uma hora do dia em que geralmente as pessoas sentem sono, final de tarde e tal. Mas sei que não é bem assim.

Porque eu leio uma passagem da Bíblia e aquilo parece tão superficial, parece que não atende ao que eu estou sentindo no momento? Mas quando o pastor pega pra explicar parece que ele abre o cadeado e a sabedoria divina flui ali. Eu não concordo com a idéia romanista de que a interpretação bíblica cabe só à “Santa Igreja”.

A realidade é que falta seriedade e maturidade para vivermos a vida cristã. Se a gente se preparar pra ir à igreja como faziam nossos pais hebreus ou mesmo como a gente se prepara pra ir à escola, dormindo cedo, fazendo tudo certinho, o sono nem tenha lugar. Talvez se a gente se preparar pro estudo bíblico e para a pregação como se prepara pra uma prova, o conhecimento flua muito mais quando a gente ler a Palavra sozinho.

Não sei se muitos estão enfrentando essa realidade em suas igrejas, mas nas igrejas Presbiterianas que eu conheço, isso é bem comum. Isso é porque a gente é tido como “racionais estudiosos da Palavra”, hein?

Powered by ScribeFire.