Por que não postar?

Estou ocupado!

Estou com tempo livre!

Por que não andar?

Tá tudo bagunçado!

Tá tudo tão certinho!

Por que não correr?

Estou cansado!

Estou muito disposto!

Por que não escrever?

Nunca soube escrever!

Esqueci como se escreve…

Por que falhar?

Porque é assim a vida nessa terra, não é leitor?

PS: nada está tão morto para que não viva para sempre! Lavoisier said it right.

Anúncios

Como não aguento ficar sem fazer nada nessa imensa comunidade social que é a internet, anuncio o Co-tiDIAno, meu álbum no flickr! Pra quem gosta do Pensária (o qual, lembro-vos, ainda não pereceu!) peço pra dar uma olhada.

Clique aqui!

Powered by ScribeFire.

Infelizmente, preciso fechar isso aqui de novo! Não é legal deixar os (poucos) leitores na mão, mas pior que deixar na mão é não avisar ne dar motivo.
A correria diária não está me permitindo organizar o tempo para escrever aqui, mesmo assinando o Efetividade.net. Erro meu, mas o blog também é!
Abraços e espero que Deus me permita voltar um dia desses!

Powered by ScribeFire.

Bem, amigos!

Hoje é dia de festa! Hoje, mesmo com um trabalho da fauldade pra fazer e entregar hoje mesmo, mesmo com o caos habitual do cotidiano de um iniciante na área de informática, estou aqui pra glorificar a Deus pelo primeiro ano de existência desse queridíssimo blog!

Faz um ano que decidi começar esse blog de uma vez, sem planejar muito. Isso reflete muito a situação atual. Vejam que nem figura esse post tem, dada a correria.

Claro que tenho muito a agradecer nesse tempo! Muitos nomes a citar, muitos leitores a lembrar, muitos blogs, alguns que nem recebem mais atualização. Mas acho que não vou conseguir reunir todo o meu sentimento de agradecimento neste único post.

Então agradeço somente a Deus! Tenho quase certeza que dessa forma todos que colaboraram pro Pensária existir por um ano ficarão bem felizes!

Acho que é só isso. Pra mim já é uma vitória lembrar algo que não seja  aniversário de uma pessoa próxima a mim!

Abraços e um abraço a você, leitor!

Powered by ScribeFire.

Caro leitor,

Eu tenho ficado muito feliz com a quantidade de comentários ao longo dos posts. Mas alguns ficam totalmente órfãos de comentários, mesmo que sejam lidos por dezenas de pessoas diariamente.

Convido-o então, que neste mês de aniversário do Pensária comente mais que livremente! É a campanha “Leu? Comente!”.

Sempre que você ler um post, comente nele, nem que seja só pra dizer “Oi!”. Sei que nem sempre a gente está com cabeça pra comentar algo que acrescente, mas quero mesmo é conhecer quem lê os meus textos.

Para quem já comenta sempre, um grande “Obrigado!” porque você ajuda a fazer essa minha casa de pensamentos!

E ainda convido-o a comentar neste post falando um pouco sobre quem você é. Se você tiver um blog, com certeza será incluído na barra lateral.

A partir de agora vou sempre incluir um “Comente Aqui” no fim de cada post pra facilitar a visualização, já que os leiautes do WordPress não facilitam o serviço!

Abraços e obrigado antecipado pelo comentário!

Comente Aqui!

Powered by ScribeFire.

Inspirado nas reflexões do pastor Perry Noble, das quais tomei conhecimento através do nosso Livreiro preferido, venho aqui fazer minhas reflexões SOBRE Domingo à noite, um pouco diferente das Sunday Night Reflections. Diferente porque, como vêem, não estou publicando reflexões no domingo à noite, mas sim refletindo sobre o dia de ontem.

  • É bom um pastor de fora na nossa igreja de vez em quando. Ainda mais pra quem sempre tem algo pra fazer na igreja e nunca visita outras igrejas.
  • Próximo domingo é aniversário da Mocidade! E tenho sentido que o tão desejado reavivamento dos jovens está começando!
  • O salmo 19 me ensinou que “O temor do Senhor é límpido”. Que palavra expressaria isso melhor do que “límpido”? Davi foi um grande poeta! Que paixão pela vida com Deus!
  • Será que alguém um dia vai conseguir subir no púlpito e ter coragem o bastante para falar sobre sexualidade com todas as palavras? Vejo que até quem se esforça nesse sentido tem dificuldades de se expressar. Os jovens precisam disso, acho que em qualquer lugar, não só nas igrejas.
  • Domingos à tarde com mais de 30 graus Celsius são uma terrível tentação para a preguiça. Perigoso.
  • Porque Domingos parecem ser dias totalmente fora da realidade da semana, com relação à comunhão com Deus? Tudo bem que é o dia que passo mais tempo com Deus, lendo a Bíblia, meditando, louvando, mas parece que Domingo é a cota semanal de Céu que recebemos.

Powered by ScribeFire.

Fiel, mas nem tanto, espectador do CQC, ou Custe o Que Custar da Band, eu vi essa semana a visita do “repórter” Danilo Gentili, ou “O cara do aerolito” à nova casa de Inri Cristo, ou o “Reino de Deus” como ele e seus discípulos clamam.

Risadas e sotaques (Pfái) à parte (porque o próprio Inri é uma pessoa com um senso de humor peculiar e joga sinuca numa mesa com a estrela de Davi), sempre que vejo o figurão, não tenho como não parar pra pensar na probabilidade dele ser o verdadeiro Jesus Cristo. O Marcelo Tas até cogitou: “Já pensou se ele é mesmo o filho do ‘Pfái’ e agente tá aqui brincando com isso?”.

Quando penso nos argumentos, essa dúvida vai embora:

  • Ele diz ser a reencarnação de Jesus, enquanto Jesus nunca disse que viria reencarnado, antes num corpo transformado e, provavelmente adulto. Esse argumento seria dizer que ele concorda com o Espiritismo, mas a doutrina espírita reza que Cristo nunca poderia reencarnar, pois já alcançou o mais alto grau espiritual;
  • Ele assume o nome de Inri, nome dado por chacota pelos romanos na crucificação. Mas esse não é um ótimo um argumento, afinal usamos a cruz, um objeto de tortura, como símbolo da nossa fé;
  • Ele não apareceu na terra com tudo que tem direito: mudanças no céu e na lua, perseguição dos discípulos dele e nem mesmo reconhecimento mundial;
  • Parece-me que ele mesmo exige que em suas entrevistas e participações só sente-se se for num trono. Como assim? Estrelismo divino?

Os argumentos dele acabam servindo mais pra mostrar a falsidade de sua messianidade que mostrar que ele é o verdadeiro Filho do Pai.

Apesar de todo o esforço, tudo que vejo o Filho do Pfái fazer é tentar provar que é o Messias redivivo. Ninguém o leva a sério, seu poder de argumento é zero. Não vejo ninguém nem mesmo simpatizar com as idéias dele a nãos er seus discípulos.

Se fosse o Cristo em sua primeira vinda, até que teria consistência o argumento do Inri, mas Cristo em sua segunda vinda continua no gueto, continua como um homem aparentemente comum? Se ao menos ele provasse o seu poder, deixando-se ser morto e sendo ressucitado.

Das duas uma: ou ele não é o Cristo que afirma ser, ou eu não sou ovelha desse pastor. O meu Pastor dá a própria vida por mim!

“Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a vida pelas ovelhas.(…)As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem.” Evangelho de João, capítulo 10.

Fotos por baldorium.

Powered by ScribeFire.